Risoterapia

A Risoterapia

14 de Novembro | 2019

Mesmo existindo há mais de 60 anos, essa terapia tida como complementar ficou mais conhecida na década de 1990 com o filme americano intitulado Patch Adams – o amor é contagioso. O famoso médico utiliza a alegria para incentivar a cura de seus pacientes.

De acordo com o homeopata e autor do livro A terapia do riso (Editora Pensamento), Eduardo Lambert, a alegria e o riso ajudam na resposta aos tratamentos e os mecanismos naturais de autocura.

“O riso treme, vibra nosso corpo e nos relaxa dando uma sensação de bem-estar. Ele ativa em nosso cérebro a produção de substâncias químicas que nos protegem contra acidentes vasculares cerebrais, estresse, problemas cardíacos e até depressão”, afirma o médico. Quanto maior a intensidade da risada, maior será a produção dos neurotransmissores importantes para a saúde como as endorfinas e as serotoninas, que são antidepressivas.

A psicopedagoga Rumilda Fernandes explica que todas as pessoas podem praticar – inclusive as crianças -, e, para a especialista, rir deveria se tornar um hábito para preservar a saúde física e mental. O método não é recomendado para pessoas recém-operadas de tireóide ou abdômen, sem que tenham a autorização do médico responsável. O Instituto, no qual ela trabalha há seis anos, promove reuniões semanais com grupos (de cinco a dez pessoas, geralmente) que durante aproximadamente duas horas são estimuladas a pensar de forma positiva.

Na primeira parte, são ensinadas técnicas para rir, leituras de textos cômicos, meditações, e todos levam exercícios para casa. “O processo de cura depende da predisposição do paciente e da decisão de se curar” diz. Durante o processo, são trabalhados o bom humor, o poder da decisão, interatividade, extroversão e altruísmo. Além disso, tentam se liberar de apegos e mágoas e desenvolver a gratidão. A risoterapia pode ser aplicada por um terapeuta do riso que já tenha participado de grupos, estude o método e conheça a prática.

Como a terapia do riso estimula o processo de cura?

Ao gargalhar, o indivíduo trabalha quase todos os músculos do rosto e do abdômen, promove maior oxigenação do cérebro, estimula a liberação da endorfina (substância que ameniza a dor e promove o prazer). A risada tem ainda efeito anestésico e aumenta a imunidade do organismo. Por isso, pesquisas realizadas nos EUA comprovaram que ela acelera o processo de cura e diminui o tempo de internações.

PASSOS PARA PRATICAR A TERAPIA DO RISO E INCLUÍ-LA NO SEU DIA A DIA:
● Durma com bons pensamentos e acorde de bom humor
● Dê bom dia para si mesmo e para tudo que está a sua volta
● Pense em todas as coisas boas que pretende fazer no dia
● Olhe-se no espelho pela manhã e sorria para você e também para todas as pessoas que fazem parte do seu dia a dia
● Sinta que o otimismo e a alegria estão abrindo novos caminhos

Motivos para experimentar a Risoterapia:
1. O bom humor desenvolve a saúde física, mental, afetiva e emocional
2. Elimina o estresse e melhora as relações cotidianas do trabalho
3. Mantém o otimismo e aumenta o pensamento criativo e positivo
4. A prática proporciona bem-estar, energia e disposição para as tarefas diárias
5. A alegria proporciona relações familiares mais sinceras e unidas
novos caminhos

Fonte: Revista Viva Saúde
Autor: Samantha Cerquetani

Doações

O Hospital de Amor (atual nome do Hospital de Câncer de Barretos) recebe pacientes de todos os estados do Brasil, oferecendo atendimento 100% gratuito. A instituição conta com profissionais altamente qualificados e realiza um importante trabalho para aumentar os índices de cura e sobrevida. Porém, nada disso seria possível sem o apoio dos diversos segmentos da sociedade, como pessoas físicas e empresas.

Patrocinadores

Conheça os patrocinadores do Instituto.

lei-cultura

Realização:

secretaria-especial-cultura

Patrocínio: